Noticias

Notícias > 2024 > Gustavo Barbosa anuncia saída da Secretaria de Fazenda e põe fim a um ciclo de cinco anos

Gustavo Barbosa anuncia saída da Secretaria de Fazenda e põe fim a um ciclo de cinco anos

Ex-secretário ocupa agora o cargo de chefe da Assessoria Especial do vice-governador

2/27/24 2:00:00 PM

2024.02.27_gustabobarbosa_1
Gustavo Barbosa agradeceu a honra de ter trabalhado na SEF em prol do seu estado


Após cinco anos, um mês e 26 dias à frente da Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais, Gustavo Barbosa anunciou oficialmente a sua saída da pasta, uma das mais importantes na estrutura do governo.

“É com muito orgulho de ter feito o meu melhor que, hoje, me despeço da minha função de secretário de Fazenda do meu estado. Foram mais de cinco anos dedicados a melhorar as finanças de Minas Gerais, compreendendo a situação de cada linha de despesa e de cada linha de receita, sempre tentando fazer com que elas se equilibrassem no final”, ressaltou Barbosa.

A decisão foi comunicada por ele na manhã dessa segunda-feira (26/2), durante a cerimônia de posse dos novos Auditores Fiscais da Receita Estadual aprovados no concurso público que não era realizado há quase 20 anos. Essa foi uma das últimas conquistas alcançadas na gestão de Barbosa, que demonstrou ter grandes expectativas em relação aos recém-chegados.

“Contamos com vocês para que possamos manter a Secretaria de Fazenda cada vez mais focada na sua missão de entregar ao governo do Estado os recursos tributários e não tributários, de forma estruturada, programada e que permita as execuções de políticas públicas”, destacou.

A exoneração, feita a pedido de Gustavo Barbosa, foi publicada na edição do Diário Oficial de Minas Gerais desta terça-feira (27/2).

O governador Romeu Zema agradeceu a Barbosa pela dedicação e pelo trabalho fundamental à frente da Secretaria de Fazenda.

"Barbosa esteve como secretário desde o primeiro dia do meu governo, em 2019. Foi um dos primeiros secretários a serem convidados e confirmados. Aceitou um desafio muito complicado, de iniciar o reequilíbrio das contas públicas em um momento crítico de Minas Gerais, e demonstrou que, com seriedade e trabalho incansável, é possível fazer uma gestão mais eficiente dos recursos", ressaltou o governador. 

O vice-governador Professor Mateus também destacou a atuação do agora ex-secretário em diferentes ocasiões, e citou o legado deixado.

"Gustavo Barbosa conduziu a negociação com os bancos, para tirar os nomes dos servidores do SPC/Serasa, onde tinham ido parar por conta de retenção dos empréstimos consignados do governo anterior sem pagamento aos bancos. Sou muito grato pelo trabalho dele, pessoa que conhece de finanças e se dispôs a dedicar esses cinco anos na condução dos interesses do povo mineiro. O que ele o que ele fez por Minas Gerais vai render ainda resultados positivos por muitos anos", pontuou o vice-governador.

Na mesma edição do Diário Oficial também foi publicada a nomeação de Luiz Claudio Gomes como novo secretário de Estado de Fazenda de Minas Gerais.

“Passo o bastão para o Luiz Claudio, que, tenho certeza, desenvolverá um trabalho brilhante à frente da Fazenda. Começo agora uma nova caminhada. Desta vez, na função assessor do vice-governador. Sem dúvida, uma honra para mim”, finalizou Barbosa.

Assista aqui ao vídeo em que o ex-secretário aponta os principais feitos de sua gestão à frente da Fazenda.

Histórico
Natural de Uberaba, Gustavo de Oliveira Barbosa, de 59 anos, assumiu a Secretaria de Fazenda em janeiro de 2019, no primeiro dia do primeiro mandato do governador Romeu Zema. Diante de um estado quebrado, foi obrigado a enfrentar uma série de problemas financeiros herdados da gestão anterior, tais como: parcelamento de salários; não pagamento do 13º e das férias-prêmio dos servidores; fornecedores sem receber; bilhões de reais em restos a pagar, 853 municípios mineiros sem repasses do ICMS e do Fundeb; depósitos judiciais; consignados debitados do contracheque, mas não repassados aos bancos, dentre outros. Ainda assim, o agora ex-secretário aceitou o desafio de reequilibrar as contas públicas e, da série de passivos, sanou cerca de 90%.

Formado em Ciências Contábeis e pós-graduado em Gestão Executiva de Fundos de Pensão, Gustavo Barbosa é servidor de carreira da Caixa Econômica Federal e, entre julho de 2016 e fevereiro de 2018, também foi secretário de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro.

Fim do parcelamento
Para Gustavo Barbosa, a maior das vitórias foi ter conseguido voltar a pagar os salários dos servidores do Executivo em dia.

“Quando a gente anunciou, em agosto de 2021, que iria pagar em dia, para mim, foi a maior conquista saber que quase 600 mil famílias iriam voltar a ter os seus salários pagos de forma correta. Aí alguém pode falar que não fizemos mais do que a obrigação. Eu concordo. Uma obrigação que não era feita”, desabafou.

RRF
Defensor da adesão de Minas Gerais ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) para equacionar a dívida do Estado com a União, Gustavo Barbosa deixa a secretaria sem ver essa questão definida, pois a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de prorrogar o prazo de adesão para até 20 de abril criou espaço para avaliação de outras propostas.

“Até hoje, o RRF ainda é a única alternativa legalmente constituída para se equacionar a questão dos estados superendividados. Não tenham dúvida de que, se surgir algo melhor, o governo estadual vai em direção a essa opção. O problema é que, por enquanto, não existe alternativa, o prazo está acabando e a União não vai perdoar a nossa dívida”, salientou.